Desde que atendam a um aluno por vez, academias podem reabrir em Aracruz

Para algumas academias, a reabertura na condição imposta pelo decreto municipal n° 37.971 não vale a pena em razão dos altos custos

0
174
Foto: Ilustrativa/Divulgação

Fechadas há mais de dois meses (desde 19 de março) por conta da pandemia do novo coronavírus, as academias de ginástica já podem reabrir em Aracruz, ficando permitidos apenas os esportes individuais, sem contato físico. É o que diz o decreto municipal n° 37.971, publicado ontem 25. Porém, a exigência de que apenas um aluno seja atendido por vez tende a adiar a retomada das atividades no setor. Nas redes sociais, pelo menos três academias do município já anunciaram a inviabilidade de reabrir. Uma delas destacou que “o custo é muito alto para manter o estabelecimento funcionando”. Outra diz esperar ansiosa por “medidas mais adequadas”.

Além do atendimento de forma individualizada mediante agendamento prévio, as academias de Aracruz ainda deverão, entre outros procedimentos, retirar tapetes e utilizar, se possível, pano embebido em solução de hipoclorito de sódio ou substância alternativa nas portas de acesso; providenciar a limpeza e higienização geral das áreas coletivas antes do início e a cada 3h de funcionamento; disponibilizar permanentemente lavatório com água potável corrente, sabonete liquido e toalhas de papel e/ou dispensers de álcool em gel 70% em pontos estratégicos para higienização das mãos de colaboradores e clientes.

Os clientes, por sua vez, deverão, entre outros procedimentos, usar máscara facial (exceto em ambientes de piscina quando o uso for permitido), garrafa ou copo descartável e toalha individual; priorizar, quando possível, a utilização de calçado sobressalente para troca no acesso à academia; manter, sempre que possível, os cabelos presos durante a realização das atividades; realizar a higienização dos pés antes de acesso a áreas de ringues ou tatames; e não permanecer no estabelecimento fora do horário agendado para atendimento.

Lanchonetes e pizzarias também podem reabrir
De acordo com o decreto municipal n° 37.971, lanchonetes e pizzarias, assim como os restaurantes, podem funcionar no horário regular e habitual de funcionamento do estabelecimento ou da prestação do serviço, limitando-se às 20h. Após esse horário, o atendimento fica restrito ao serviço de entrega em domicílio (delivery).

Bares só com delivery ou entrega imediata
O delivery também está autorizado para bares, cafeterias, confeitarias e food trucks, bem como para o comércio ambulante de alimentos e de consumo imediato e congêneres. Eles também podem fazer a entrega imediata, regulando-se o fluxo de clientes (um por vez para a retirada), sem oferta de mesas e cadeiras, não sendo permitidas aglomerações de quaisquer tipos na calçada em frente ao estabelecimento.

Comércio
Boa parte do comércio de rua considerado não essencial em Aracruz segue funcionando de segunda a sexta-feira, das 12h às 18h, e aos sábados, das 8h às 12h. Já as lojas não essenciais do Shopping Oriundi seguem funcionando entre 13h e 19h, de segunda-feira a sábado. Farmácias, lojas de conveniência, padarias, mercearias, super/hipermercados e outros estabelecimentos considerados essenciais seguem funcionando em seus horários habituais. Já o horário de funcionamento de concessionárias de veículos, lojas de material de construção, marmoarias, vidraçarias e outros estabelecimentos do chamado 1° setor é de 8h às 14h, de segunda a sexta-feira, e de 8h às 12h, aos sábados.

Suspensões
Ainda de acordo com o decreto municipal n° 37.971, até o próximo dia 1° de junho fica mantida em Aracruz a suspensão das atividades educacionais em todas as escolas e faculdades, seja da rede pública ou privada. Até lá também não poderão funcionar áreas de lazer em condomínios ou nos meios de hospedagem, boates, casas de shows, cerimoniais, cinemas, clubes recreativos, espaços culturais, hotelzinhos, parques aquáticos e/ou de diversões, museus e teatros. Campos de futebol e quadras poliesportivas seguem ser poder receber partidas. Também segue suspensa a visitação em unidades de conservação ambiental, bem como a realização de excursões de passeio e turismo em qualquer tipo de transporte coletivo.

PUBLICIDADE