Abacaxis produzidos com auxílio do Incaper são distribuídos a hospital em João Neiva

A iniciativa é resultado da união do Incaper com a secretaria de Agricultura de João Neiva

0
46
Foto: Divulgação

O compromisso social também é uma marca do Incaper. Em João Neiva, o Escritório Local de Desenvolvimento Rural (ELDR) realizou a doação de cerca de 500 frutos de abacaxi para o Hospital Maternidade Sagrado Coração de Maria e para o projeto Crubixá José Homem Justo (JHJ), mantido pela Igreja Católica e que atua com crianças de bairros carentes do município.

A iniciativa é resultado da união do Incaper com a secretaria de Agricultura de João Neiva, que solicitou as mudas de abacaxi para serem plantadas no viveiro municipal. Os frutos produzidos desse cultivo foram doados ao hospital e ao projeto. De acordo com o agrônomo e coordenador do ELDR de João Neiva, Gustavo Moulin, as mudas para a produção dos abacaxis foram adquiridas na Fazenda Experimental do Incaper de Sooretama.

Os abacaxis produzidos são da variedade Vitória, desenvolvida por pesquisadores do Incaper. O cultivo realizado no viveiro da Prefeitura de João Neiva gerou cerca de duas mil mudas. Essas mudas foram distribuídas recentemente a 15 produtores da região. O extensionista destacou que um dos objetivos da ação foi promover a diversificação da produção aos agricultores.

A cultivar Vitória apresenta características agronômicas semelhantes ou superiores em relação às cultivares Pérola e Smooth Cayenne, que já são referências. As plantas têm como vantagem a ausência de espinhos nas folhas, o que facilita os tratos culturais, sendo as recomendações técnicas de cultivo as mesmas em uso pelos produtores para as outras duas cultivares.

Os frutos do abacaxi Vitória têm formato cilíndrico, casca de cor amarela na maturação, pesando em torno de 1,5 quilo. Por ser resistente à fusariose, doença que pode levar à perda de até 40% da produção, essa fruta dispensa a utilização de fungicidas para o controle da doença, possibilitando a redução nos custos de produção por hectare, além de reduzir os riscos de impacto ambiental e aumentar a produtividade em, no mínimo, 30%.

PUBLICIDADE

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui