Conheça a história da ponte José Ferreira Lamego

Pouca gente em Aracruz sabe que a ponte sobre o rio Piraquê-açu, em Santa Cruz, inaugurada em 1988, tem o nome de José Ferreira Lamego, o saudoso ex-vereador e ex-prefeito do município, que viveu toda a sua vida no balneário

0
132
Construção da ponte José Ferreira Lamego em 1984. Foto: Celso Salvadeo

Você que trafega pela rodovia ES-010, na orla de Aracruz, já atravessou a ponte José Ferreira Lamego? Ou a ponte sobre o rio Piraquê-açu, em Santa Cruz? Acertou se disse as duas! Isso mesmo, pois pouca gente sabe que a ponte recebeu, em 1988, ano de sua inauguração, o nome do saudoso ex-vereador e ex-prefeito de Aracruz, que viveu toda a sua vida no balneário, sendo integrante de uma das famílias mais tradicionais do município. Lamego foi topógrafo e também dá nome a uma rua em Santa Cruz.

O nome da ponte foi uma homenagem do então deputado estadual João Gama Filho, de Linhares, por meio do projeto de lei 253/1988, apresentado em 19 de outubro de 1988 e aprovado por unanimidade na Assembleia.

José Ferreira Lamego foi vereador por três mandatos, nas terceira, quarta e quinta legislaturas da Câmara de Aracruz. O primeiro de 14/05/1920 a 22/05/1924, o segundo de 23/05/1924 a 22/05/1928 e o terceiro de 23/05/1928 a 25/12/1928, quando renunciou para disputar a prefeitura, sendo eleito e cumprindo o mandato a partir de 25/12/1928.

Os mandatos foram interrompidos pela tomada do poder nacional pela Aliança Liberal, em 24/10/1930, que levou Getúlio Dornellas Vargas à Presidência da República, em 03/11/1930. Os estados passaram a ser administrados por Juntas Governativas (militares), que entregaram a direção dos municípios a “pessoas de confiança do Estado”. Para Aracruz foram nomeados os vereadores Joaquim Simões da Rocha e Manoel Pereira da Fraga, que legislaram juntos com Lamego.

Nesta foto da inauguração do calçamento ou asfalto da avenida Piraquê-açu, em Santa Cruz, em meados dos anos 70, publicada no site Fotos Antigas de Aracruz, aparecem o então governador Arthur Carlos Gerhardt Santos, governador do Espírito Santo, que governou de 15 de março de 1971 a 15 de março de 1975, inaugurando a obra em Santa Cruz, que não teve ligação com a ponte ou as balsas, mas foi entre 1973 e 1975, pois Gérson Camata, que aparece à esquerda, de terno e microfone na mão, trabalhou entre 1965 e 1978 apresentando o programa Ronda da Cidade, na Rádio Vitória, que ia ao ar todos os dias a partir de 12h. Ele foi o primeiro governador eleito na Nova República, governando de 15 de março de 1983 a 14 de maio de 1986. Entre alguns que aparecem na foto foram identificados Monsenhor Guilherme Schmitz, Maridéia Bitti, Arthur Gerhardt, prefeito Primo Bitti, diretor do DER-ES Shefas Siqueira (à esquerda, de óculos), Aurício Modenesi (de óculos quadrado e camisa preta, ao lado de Primo Bitti. Foi presidente da Câmara de Aracruz e vereador de 1973 a 1977), coronel Carlos Moacyr Monjardim, secretário-chefe da Casa Militar (ao lado do Monsenhor) e Siliégio Gomes Ramalho. Depois foi governador Élcio Álvares e depois Eurico Resende, que governou de 15 de março de 1979 a 15 de março de 1983. Foi ele que privatizou o serviço de balsas em Santa Cruz, que passou à administração do comerciante Genésio Salvadeo, na época proprietário e fundador do Restaurante Mocambo, em Santa Cruz
PUBLICIDADE

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui