Você está aqui: Home › Colunas › Artigos
Artigos

E-mail: folhalitoral@uol.com.br

08/02/2019
Infecções respiratórias no verão | Dra. Marli Lopes

Engana-se quem pensa que no verão, com temperaturas elevadas, ficamos livres das doenças respiratórias. A necessidade dos cuidados de prevenção continua, principalmente entre os grupos mais suscetíveis, que são os idosos e crianças menores de cinco anos. A poluição, o clima seco e as altas temperaturas, quando somadas, formam equação perfeita para o aumento do índice de infecções respiratórias (rinite, sinusite, asma e pneumonias).

 

A mudança de horários, banhos de praia e piscina, a ingestão de sorvete e bebidas geladas e o ar condicionado bombando podem ser uma delícia que prejudica a saúde, ainda mais de quem sofre com doenças respiratórias, asma, rinite e sinusites.

 

O ar condicionado tão utilizado no verão ajuda a proliferar bactérias e fungos e por isso exige manutenção e limpeza constante, pois podetrazer mais infecções e crises de alergias respiratórias, além de ressecar as mucosas nasais, barreiras importantes para filtrar o ar inspirado.

 

As mudanças bruscas de temperatura entre o ambiente climatizado e o externo também demandam atenção por serem irritantes nasais.  Até mesmo as viagens de avião podem desencadear problemas respiratórios por conta do ar seco e frio, do ar condicionado e a recirculação do ar entre um aglomerado de pessoas. Isso reduz as defesas naturais do nariz e favorece a disseminação de doenças respiratórias.

 

O cloro da piscina é um irritante nasal que pode desencadear crises de rinite, tanto pela entrada direta da água clorada no nariz quanto pela inalação de gases provenientes da água. Já a água do mar não faz mal quando em contato com o nariz, exceto em casos de contaminação por esgoto, que pode causar diversos tipos de infecções, como as gastrointestinais.

 

Para amenizar a baixa umidade do ar a recomendação é beber muita água e o consumo de bebidas geladas pode diminui a resistência pulmonar, principalmente em idoso ou pessoas com a saúde debilitada, pois com a resistência mais baixa o risco de pneumonia é maior. A alimentação adequada e atividade física são fundamentais para melhorar a resistência do organismo e consequentemente diminuir as infecções.

 

Uma dica importante para manter a rinite e a sinusite bem longe é realizar lavagens nasais com soro fisiológico para manter a função adequada de defesa, umidificação e filtração do ar, além de caprichar na hidratação.  No caso dos pacientes crônicos, a lavagem nasal com solução salina é recomendada para o ano todo.  Esse tipo de lavagem, quando realizada de forma diária, é capaz de prevenir até gripes e resfriados.

Veja mais em "Artigos" [veja todos]

Edição da Semana

Coluna
Beth Vervloet

Confira aqui as notícias da sociedade e as fotos de quem é notícia em Aracruz e região.

Fórum do Leitor

Entre e deixe o seu comentario em nosso livro de visitas!