Você está aqui: Home › Colunas › Especial
Especial

E-mail: folhalitoral@uol.com.br

10/05/2019
MÃE: EXPRESSÃO MÁXIMA DE AMOR E CARINHO - Lucieni Cavalheri Hermano fala da experiência materna

“Deus nos concede filhos e cada um traz consigo um propósito para nossas vidas. Compreender isso é o sentido da maternidade, que só não se torna plena, quando não se permite ser”, considera a psicóloga Lucieni Cavalheri Hermano. Mãe de Elen (19), Vitória (16) e Rian (15), filhos biológicos; e Dalila (17), Kemilly (06) e Guilherme (02), filhos de coração; a também empresária [proprietária da empresa de desenvolvimento de pessoas Essência do Ser] não mede esforços para no dia a dia atribuir amor e carinho à família que construiu ao lado do esposo Sérgio Hermano do Bonfim, com quem é casada há 20 anos.

 

Focados na carreira profissional, Lucieni e o esposo não pensavam em ter filhos. No entanto, o casal precisou rever suas prioridades com a chegada de Elen, Vitória e Rian. “Entendemos que aquilo que tínhamos planejado não era nossa prioridade, mas sim cuidar de vidas. Próximo de completar quatro anos de idade, a Dalila, que é nossa afilhada, decidiu morar conosco após a separação dos pais. No ano passado, a família cresceu com o acolhimento dos irmãos Kemilly e Guilherme. Também somos seus padrinhos de batismo e pela impossibilidade de convivência com seus pais biológicos, coube a nós a missão de dar direcionamento e sentido à vida desses pequenos. Tem sido maravilhoso. Gerar ou acolher e educar outra pessoa para o mundo é desafiador e ao mesmo tempo prazeroso. É a minha missão de vida. Claro que não é fácil. Contudo, não lamento; creio na providência de Deus e sou muito grata a Ele pela oportunidade de ter uma família como a minha. Se pudesse, adotaria mais crianças. Não sei, está nas mãos de Deus”, conta a psicóloga, que trabalhava voluntariamente no Projeto Girassol, serviço de convivência fortalecimento de vínculos da Cáritas Diocesana de Colatina.

 

Para Lucieni, os filhos são reflexo daquilo que vivem dentro de casa. O modo como ela e todo o núcleo familiar lidam com as questões da rotina impactam na forma como os seis irmãos vão se formar. Por isso, a compreensão, o respeito, o arrependimento e o perdão são valores que, desde sempre, transmite aos filhos. “Temos princípios religiosos, morais e éticos. E para que meus filhos compreendam cada vez mais o sentido de família, faço questão de seguir uma tradição dos meus pais, que é sentarmos todos à mesa para, juntos, fazermos as três principais refeições do dia. Nos dias letivos nem sempre é possível, mas nos finais de semana essa comunhão por meio do alimento é sagrada. Esse momento diante da mesa é um gesto simples, mas que potencializa a comunicação entre nós. Meu desejo é que meus filhos possam repetir isso quando formarem as suas próprias famílias; que eles aproveitem a qualidade de momentos como esse, sem nunca deixarem de serem gratos a Deus”, ressalta.

 

A convivência entre os irmãos é saudável. Existem diferenças, afinal cada um tem uma personalidade, mas nenhum tipo de rejeição. Ao contrário, um completa e dá sentido à vida do outro. “Nos dois momentos em que acolhemos nossos afilhados, eu e meu esposo preparamos nossos filhos biológicos. Dissemos a eles que não era uma vontade nossa; que essas crianças nos foram apresentadas. Então existe algo maior, um projeto de Deus na vida delas. E a vida da gente só tem sentido se fizermos a diferença neste mundo, não digo em relação à fama e sucesso, mas da diferença onde a gente está. A missão a qual me referi tem a ver com isso, de fazer a diferença na vida de crianças que precisam de um alicerce, que é a família. Quero ser lembrada como uma pessoa que teve filhos que amavam e respeitavam a Deus; que foram honestos; que souberam ajudar e respeitar o próximo; que tenham consigo os valores que estou mostrando enquanto mãe. E o que mais prezo nesta condição é incentivar meus filhos a fazerem a diferença pelo que são e não pelo que têm”, pontua Lucieni.

 

O QUE DIZEM OS FILHOS À LUCIENE

“Obrigada por ter me cedido a sua vida; por ter cuidado de mim de uma maneira como ninguém do mundo seria capaz de cuidar. Te amo, mãe”.

Elen

 

“Agradeço a Deus todos os dias pela sua vida e por tê-la escolhido para ser minha mãe. Eu te amo demais!”.

Vitória

 

“Mãe, você é meu maior exemplo; a pessoa mais especial em minha vida. Obrigado por tudo. Você é mais que especial. Te amo”.

Dalila

 

“Mãe, você é um presente de Deus na minha vida. Eu te amo mil milhões”.

Rian

 

“Mamãe, nós te amos muito”.

Kemilly e Guilherme

 

O QUE LUCIENE DIZ ÀS MÃES

“Nós mães, biológicas e de coração, precisamos entender que o dom da maternidade é divino e através de nós, Deus continua o processo da Criação. Que tenhamos tempo de qualidade, que sejamos exemplo, que oremos por nossos filhos. Mães de joelhos, filhos de pé”.

Veja mais em "Especial" [veja todos]

Edição da Semana

Coluna
Beth Vervloet

Confira aqui as notícias da sociedade e as fotos de quem é notícia em Aracruz e região.

Fórum do Leitor

Entre e deixe o seu comentario em nosso livro de visitas!