Você está aqui: HomeNotícias › Notícia completa
06/04/2018 às 08:49
Saúde pública pede socorro em Aracruz

Um impasse entre a Prefeitura de Aracruz e a Fundação Hospital Maternidade São Camilo pode provocar a paralisação do atendimento médico no Pronto Socorro (PA-SUS), devido ao atraso salarial de dois meses à classe médica, pois o município não repassou os recursos conveniados, que é de sua obrigação, por ser o responsável pela manutenção do serviço de pronto-atendimento de urgência e emergência.

 

A FOLHA DO LITORAL conversou com alguns médicos, que admitiram o atraso desde janeiro em seus vencimentos pelos serviços prestados nos plantões de urgência, e que existe a possibilidade de paralisação dos serviços. Segundo eles, houve promessa anterior de solução, não cumprida, e que a administração já está com o quarto secretário de Saúde, que já entrou endurecendo o diálogo com a categoria e dificultando a negociação.

 

O PA-SUS aumentou de sete mil para nove mil o número de atendimentos a partir de março, e os médicos reclamam que as unidades de saúde da prefeitura não atendem a população nas necessidades de cirurgias eletivas, acarretando sobrecarga nos atendimentos.

 

O presidente do Conselho Curador da Fundação Hospital Maternidade São Camilo, Evilasio Oliveira Costa, informou que o assunto está sendo tratado junto à prefeitura, já que o vínculo dos médicos é com o hospital, mas o PA-SUS é da prefeitura, que precisa fazer os repasses para que os médicos recebam.

 

Um médico foi taxativo: “a atual administração já está no quarto secretário de saúde. Cada um que entra quer fazer de um jeito diferente e na briga entre o mar e o rochedo, quem sofre são os mariscos, ou seja, nós. Sempre foi assim! Querem um atendimento vip, sem pagar! Só exigências e nada de retorno”.

 

Na noite de quarta-feira 04 houve uma reunião entre os médicos e a direção do hospital. O salário de janeiro foi pago com recursos do hospital e a categoria protocolou no Ministério Público um pedido de procedimento judicial para tentar resolver o impasse, mas parece que não existe solução imediata e por isso não descarta futuras paralisações no atendimento.

 

Secretaria de Saúde diz que não é responsável por pagamentos de terceiros pelos serviços prestados ao Hospital São Camilo

A Secretaria de Saúde da Prefeitura de Aracruz informa que mantém um contrato sob o nº 003/2017, processo nº 15697/17, de prestação de serviços e ações de saúde a serem prestados aos munícipes de Aracruz, no valor de R$ 23 milhões por ano. A secretaria de Saúde informa ainda que não é responsável por pagamento de terceiros, fornecedores, materiais, pessoal e médicos, ou qualquer outro compromisso pelo Hospital São Camilo em decorrência desta prestação de serviços. A secretaria de Saúde é somente responsável pelo pagamento de parcelas mensais desse contrato. O referido atraso de dois meses no pagamento dos médicos não é de competência da prefeitura, cabendo tal responsabilidade somente à parte que estabelece o contrato de trabalho. A secretaria encontra-se à disposição para todo e qualquer esclarecimento.

 

N.R. - Na nota oficial enviada ao jornal, apesar do questionamento feito, a secretaria de Saúde da Prefeitura de Aracruz não informa o motivo do atraso do repasse financeiro mensal ao hospital, essencial para se pagar aos médicos.

Veja mais sobre Saúde [+ notícias]

Edição da Semana

Coluna
Beth Vervloet

Confira aqui as notícias da sociedade e as fotos de quem é notícia em Aracruz e região.

Fórum do Leitor

Entre e deixe o seu comentario em nosso livro de visitas!