Você está aqui: Home › Colunas › Artigos
Artigos

E-mail: folhalitoral@uol.com.br

27/09/2019
O que as estatísticas não mostram! | Professor Cícero Maia

O Brasil está a viver um momento particular único na vida do país! A nação esteve literalmente cativa nas mãos de uma agremiação partidária que, mais tarde, veio a ser reconhecida como uma organização não compatível com os ideais maiores dos pais, deixando uma herança econômico e social abaixo de qualquer consideração que mereça aplausos, elogios ou recordações que nos encham de orgulho.

 

Nesses meandros desconhecidos, invisíveis da administração pública, muita coisa precisa ser evidenciada para a grande população que é a tradução do que as estatistas mostram! Por exemplo! Esperava-se um crescimento do PIB, no último trimestre, na ordem de 0,2 do por cento do PIB! Isto significa ter um ganho de um bilhão trezentos e sessenta milhões de reais, mas a surpresa veio de tal sorte que o PIB cresceu 0,4 % do PIB, o que significa duas vezes o esperado, ou seja, um resultado de dois bilhões, setecentos e vinte milhões de reais! Para que esses números sejam compreendidos temos de tomar como base o PIB total do Brasil, no ano de 2018 que foi de R$ 6,8 trilhões de reais. Esses resultados não são ditos claramente para a população que olha para eles resultados sem sentir qualquer ponta de entendimento, esperança, crença ou que vamos ultrapassar esses momentos difíceis por que estamos a passar!  

 

Outra informação estatística que nos chega inteiramente fora do contexto nacional é o do desemprego no país! Quando é dito que há treze milhões de desempregados se pensa que o país não gera postos de trabalho, mesmo tendo um PIB como o que temos e uma população de mais de duzentos milhões de pessoas! Temos de entender que existe uma visão diferenciada do que seja desemprego no Brasil!

 

Sucede que temos incentivos a quem não trabalha! Faz parte da nossa cultura entender que enquanto esses incentivos não se esgotam, ninguém procura outro trabalho. Então as pessoas fazem trabalhos à margem da lei, oficiosamente, de tal sorte que a estatística continua no mesmo patamar porém, ninguém morre de fome pela falta de posto de trabalho oficial.  

 

Portanto, a leitura de um dado estatístico precisa saber ser lida, do contrário a informação é estéril, não traduzindo a verdade do que está sendo apresentado.

 

Há muitas variáveis envoltas em uma informação que venha da estatística. É preciso ter em presença o referencial considerado, as condições que temos pra gerar o que precisamos e se sabemos produzir!

Veja mais em "Artigos" [veja todos]

Edição da Semana

Coluna
Beth Vervloet

Confira aqui as notícias da sociedade e as fotos de quem é notícia em Aracruz e região.

Fórum do Leitor

Entre e deixe o seu comentario em nosso livro de visitas!