Você está aqui: Home › Colunas › Marcos Paulo
Marcos Paulo

E-mail: folhalitoral@uol.com.br

05/12/2014
Brasil campeão...

Em meio a um dos maiores escândalos de corrupção da sua história envolvendo a Petrobras, o Brasil melhorou três posições no ranking sobre a percepção da corrupção no setor público, divulgado na quarta-feira 3 pela ONG Transparência Internacional. De acordo com o ranking, neste ano o Brasil ocupa a 69ª colocação entre 175 países. Apesar da melhora, o Brasil continua atrás de países como Chile, Uruguai, Ruanda e Botswana. O diretor para Américas da ONG, Alejandro Salas, diz que a posição brasileira é uma "vergonha". O aumento da nota, no entanto, permitiu que o país saísse da 72ª posição no ranking e chegasse à 69ª. A subida, porém, não merece ser celebrada, diz Alejandro Salas.

 

Ibama

O colunista Alexandre Garcia informou que um relatório da Controladoria-Geral da União apontou irregularidades de todo tipo nos contratos firmados pelo Ibama. Onde foi parar todo esse dinheiro? Pode ter sido queimado, mas de uma forma diferente com que queimam a Floresta Amazônica. Queimado por uma nova moda brasileira: a ausência de licitação, a concorrência pública que dá transparência e lisura no uso do dinheiro dos contribuintes. Outra mania nacional com o dinheiro do público é faturar serviços e materiais que nunca foram entregues. É bom que se diga que é o próprio governo que faz essa constatação, através da Controladoria-Geral da União, mas, antes disso, a investigação começou na própria auditoria do Ibama, onde trilhou um caminho de pedras, com omissões, pressões e coações para desestimular a apuração, o que retardou o trabalho e permitiu mais pagamentos ilegais. Isso faz a gente imaginar que quando uma irregularidade chega ao conhecimento dos contribuintes, seja apenas a pontinha do iceberg. No caso, em Brasília, o Ibama vinha pintando o sete e se enrolando em cabos elétricos e pelo país afora, cuidando mal do seu próprio meio ambiente. GOL DA ALEMANHA!

 

Nossas leis!

Pesquisa desmente versão de que ‘a polícia prende e a Justiça solta’ e revela que 37% dos réus submetidos a prisão provisória não são condenados em regime fechado no Brasil. A política criminal no Brasil funciona da seguinte forma: só é processado quem foi preso em flagrante e só é condenado quem já estava preso. E mais: a pesquisa desmente a versão dada com muita frequência por oficiais da Polícia Militar de todo o Brasil, sempre que se deparam com criminosos reincidentes nas ruas, de que “a polícia prende e a Justiça solta”. É o que se conclui de estudo do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) e do Departamento de Política Penitenciária do Ministério da Justiça (Depen) do Ministério da Justiça, divulgado na quinta-feira 27/11. De acordo com a pesquisa, 60% dos inquéritos policiais conclusos em 2011 foram abertos a partir de flagrantes. E 65,5% das denúncias recebidas pelo Judiciário tratavam de inquéritos abertos depois do flagrante. Em 87% dos casos, o réu já estava preso. Nos inquéritos abertos por portaria, a proporção de denúncias aceitas com o réu já preso cai para 12,3%.

 

Óbvio

Na falta de notícias importantes, o site da Prefeitura de João Neiva publica, em destaque, assunto irrelevante para a comunidade, como um decreto do prefeito Romero Gobbo Figueredo instituindo o calendário de feriados e pontos facultativos para 2015, incluindo todos os feriados nacionais e estaduais. A justificativa é a necessidade de se instituir um calendário único, do qual constem os feriados nacionais, estaduais, municipais e pontos facultativos, para que o mesmo auxilie na execução dos trabalhos dos setores públicos e particulares. Prefeito, isso é normal em todas as prefeituras, e não necessita ser assunto de reportagem com destaque! Bote sua assessoria para trabalhar mais...

Veja mais em "Marcos Paulo" [veja todos]

Edição da Semana

Coluna
Beth Vervloet

Confira aqui as notícias da sociedade e as fotos de quem é notícia em Aracruz e região.

Fórum do Leitor

Entre e deixe o seu comentario em nosso livro de visitas!