Você está aqui: Home › Colunas › Marcos Paulo
Marcos Paulo

E-mail: folhalitoral@uol.com.br

17/10/2014
Bicho pegando I

O Ministério Público Especial de Contas (MPC) opinou pela rejeição das prestações de contas das Câmaras de Vereadores de Aracruz, Ecoporanga e Pancas. Nos pareceres emitidos nos últimos dias, o procurador de Contas, Luciano Vieira, pede a condenação dos responsáveis à devolução ao erário de recursos públicos que foram utilizados para pagamento indevidos. Os casos serão levados a julgamento no Tribunal de Contas do Estado (TCE). Em relação às contas da Câmara de Aracruz, referentes ao exercício de 2008, a área técnica do Tribunal verificou a ausência de controle e motivação no pagamento de diárias a motoristas, o que teria causado um dano ao erário no valor de R$ 23 mil. A investigação revelou ainda pagamentos indevidos na ordem de R$ 32,9 mil. No parecer, o MPC pede a condenação do então presidente da Casa, Ismael Da Rós Auer, ao ressarcimento do prejuízo, além do pagamento de multa e a inabilitação para o exercício de cargo público pelo prazo de cinco anos.

 

Bicho pegando II

O juiz da Vara Única de João Neiva, Leonardo Mannarino Teixeira Lopes, julgou procedente uma ação de improbidade contra o ex-secretário municipal de Educação, Marcos Aurélio Soares da Silva, e mais duas pessoas, pela utilização de bem público para interesse particular. Na decisão publicada na terça-feira 14, o magistrado criticou a utilização de recursos públicos – ônibus da pasta – para a realização de uma excursão para a partida entre Botafogo x América (RN), no estádio Engenheiro Araripe, em agosto de 2007, pelo Campeonato Brasileiro. Na resposta à acusação, o ex-secretário afirmou que a viagem teria como objetivo o incentivo à prática esportiva no município, além do veículo ter sido utilizado fora do horário de expediente – eles saíram às 18h e retornaram na madrugada do dia seguinte.

 

Mais velho e mais novo

Um encontro de gerações vai ocorrer na Assembleia Legislativa a partir de fevereiro de 2015, quando tem início a 18ª Legislatura. Após a posse dos futuros parlamentares, o atual presidente da Casa, Theodorico Ferraço (DEM), com 76 anos, será o deputado estadual mais velho entre os 30 eleitos. Hoje, Élcio Álvares (DEM), 82, não reeleito, é o decano do Legislativo estadual. Já o parlamentar mais jovem é de Aracruz. Erick Musso (PP), 27 anos, eleito com 14.638 votos, terá sua primeira experiência como deputado estadual. Porém, apesar da pouca idade, ele não é um principiante na política. Atualmente, exerce o mandato de vereador, sendo o atual presidente da Câmara de Aracruz. Erick Musso vem de uma família tradicional na política local. Nascido em 19 de fevereiro de 1987, ele é neto de Heraldo Barbosa Musso, que foi deputado estadual por três mandatos e prefeito de Aracruz por duas vezes. Erick trabalhou na Assembleia Legislativa por três anos com o ex-deputado e atual prefeito de Aracruz, Marcelo Coelho.

 

Reflexos da eleição

Atayde Armani (DEM) deveria ter decidido se é de Linhares ou de Santa Maria de Jetibá. No primeiro mandato se elegeu com expressiva votação dos linharenses, depois migrou para Santa Maria de Jetibá, e na eleição passada obteve boa votação na cidade serrana, se reelegendo. Porém, com a entrada de um pomerano legítimo na disputa, o ex-prefeito Hilário “Gatinha” Hoepcke (PPS), sua condição de pomerano genérico não funcionou.

 

Élcio Álvares (DEM) deve sua derrota aos escândalos da Igreja Maranata, de onde sugava bons votos. Pesaram, também, as declarações da jornalista global Mirian Leitão, acusando Élcio de persegui-la, quando era governador biônico da ditadura militar, nomeado pelos generais de plantão.

 

José Calos Elias (PTB) tentou um voo mais alto, se candidatando a deputado federal e caiu com a cara no pó, nome de um bairro pobre de Linhares, que é seu curral eleitoral. Teve a candidatura impugnada no TSE, conseguiu 27 mil votos e recorreu. Se ganhar não leva, pois a votação foi insignificante.

 

Luiz Durão (PDT), apesar de muito rico, o “sheik do petróleo” em Linhares, não soube cuidar bem da sua imagem. O povo linharense não abasteceu de votos as urnas eleitorais de Durão, que terá que perguntar no posto Ypiranga mais próximo.

 

Vandinho Leite (PSB) quis passar de leite B para A e de deputado estadual para federal. Porém, suas inaugurações de campinhos de futebol Espírito Santo afora foi uma bola fora. Teve uma boa votação, mas em política isto não vale nada; é como uma vaca holandesa dar 30 litros de leite e depois dar coice no balde. Outro erro foi, segundo se comenta no mercado político, ter tentado mudar de lado no meio da campanha, se bandeando para Paulo Hartung. Uma derrota que poderia ter sido evitada.

Veja mais em "Marcos Paulo" [veja todos]

Edição da Semana

Coluna
Beth Vervloet

Confira aqui as notícias da sociedade e as fotos de quem é notícia em Aracruz e região.

Fórum do Leitor

Entre e deixe o seu comentario em nosso livro de visitas!