Porto holandês irá testar equipamento desenvolvido pelo Portocel

O equipamento idealizado por Portocel e desenvolvido em parceria com empresas especializadas é uma solução inovadora na movimentação de celulose e será testado pelo porto de Verbrugge, que deverá recebê-lo ainda no primeiro trimestre

0
39
Spreader automático em operação no Portocel. Foto: Rogério Sarmenghi

O Portocel vem ampliando seus negócios e fortalecendo sua competitividade. O porto iniciou em 2022 uma parceria internacional de peso envolvendo o terminal holandês de Verbrugge, localizado no Mar do Norte, consolidando seu propósito de, cada vez mais, ser referência no setor portuário.

Em recente visita ao Portocel, a equipe operacional do porto holandês conheceu o terminal, suas operações e projetos em curso, em especial a operação do spreader automático e toda a expertise do porto na implantação desta inovação. O equipamento idealizado por Portocel e desenvolvido em parceria com empresas especializadas é uma solução inovadora na movimentação de celulose e será testado pelo porto de Verbrugge, que deverá recebê-lo ainda no primeiro trimestre.

A Verbrugge International é uma operadora holandesa de terminais que, além de um dos principais players na operação portuária de celulose na Europa, opera ainda cargas a granel e fracionadas com três terminais nos portos de Vlissingen e Terneuzen. Seus principais serviços envolvem a movimentação de celulose, papel, aço, projetos a granel e carga geral.

A parceria agrega troca de expertise operacional, desenvolvimento de novos negócios e ações na área de ESG, sigla em inglês para o tripé ambiental, social e governança, incorporando melhores práticas e oportunidades de desenvolvimento para ambos os terminais. A gerente de Estratégia, Gestão e Novos Negócios de Portocel, Valéria Becalli Provete, ressalta que o porto de Verbrugge é um centro logístico de destaque na Europa e a parceria contribui para fortalecer o Portocel como referência em excelência operacional e no desenvolvimento de projetos de inovação, também no cenário internacional.

“Com essa parceria temos a oportunidade de compartilhar nossas experiências, o que viabiliza o desenvolvimento e aprimoramento de projetos disruptivos como o spreader automático, além de oportunizar trocas conectadas às boas práticas ESG e desenvolver novos projetos no futuro”, disse Valéria, acrescentando que esta é a negociação mais avançada envolvendo o equipamento e que o porto de Verbrugge contribuirá com o desenvolvimento da segunda versão do spreader, incorporando mais tecnologia.

PUBLICIDADE