Placas do Brasil comemora 10 anos de fundação

Localizada no município de Pinheiros, a Placas do Brasil possui uma área total de 665.000 m², com cerca de 200.000 m² de área construída de planta fabril

0
29

Indústria capixaba mais moderna na produção de painéis de MDF do mundo, primando pela sustentabilidade, a Placas do Brasil comemorou no último dia 14, em Linhares, os seus 10 anos da primeira assinatura de sua fundação, especializada na produção de painéis de placas de fibra de madeira de média densidade (Medium Density Fiberboard – MDF) de alta qualidade, provenientes de florestas 100% renováveis de eucalipto.

A Placas do Brasil foi constituída oficialmente em 2011, quando houve a assinatura dos sócios e acionistas para a criação da primeira indústria de MDF revestido do Espírito Santo, dando início à sua primeira produção em 2018. A comemoração foi realizada em coquetel com a presença dos acionistas e convidados, no Cerimonial Le Palace, em Linhares, cidade que é o maior polo moveleiro do Estado.

Localizada no município de Pinheiros, a Placas do Brasil possui uma área total de 665.000 m², com cerca de 200.000 m² de área construída de planta fabril. Com investimentos superiores a R$ 600 milhões, sua planta é totalmente contemporânea e possui equipamentos e tecnologia de última geração com a capacidade de produzir 30.000 m³ por mês de painéis de MDF naturais e 12.000 m³ por mês de painéis de MDF revestidos. Atualmente, a indústria emprega mais de 300 colaboradores, participando do desenvolvimento econômico de toda a região.

Sua estratégica localização é uma excelente fonte de abastecimento e logística para os mercados do Espírito Santo, Sudeste, Norte, Nordeste e Centro Oeste. Hoje, a Placas do Brasil vende seus produtos para 22 dos 27 estados brasileiros. Em 2011, Luis Soares Cordeiro – sócio fundador da Estel Serviços Industriais, empresa de engenharia sediada em Aracruz, que atua no Brasil há 35 anos, viu a oportunidade de criar um negócio de MDF no Espírito Santo. Para que seu projeto fosse adiante, o empresário reuniu um grupo de pessoas envolvidas na produção de MDF, entre outros com interesse em comum para investir no mercado capixaba com o objetivo de atender à lacuna de fornecimento desta matéria prima.

Em março de 2011, Cordeiro participou de uma reunião do Sindicato das Indústrias da Madeira e Móveis de Linhares e arredores do norte do Espírito Santo (Sindimol). Durante a reunião o que lhe chamou a atenção foi a insatisfação dos membros do sindicato sobre questões de fornecimento de MDF no Estado, cujos fabricantes mais próximos estavam em São Paulo, a mais de 1.000 km de distância, o que ocasionava altos custos de matéria-prima e posicionava os membros do sindicato em desvantagem competitiva no mercado.

PUBLICIDADE

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui