Mudanças no trânsito de Aracruz confundem motoristas

Intervenções do Detran-ES no trânsito de Aracruz começam a ser notadas (e desrespeitadas)

0
162
Antes com dois sentidos no bairro Vila Rica, em Aracruz, a rua Padre Luiz Parenzi passou a ter mão única em toda a sua extensão. Motoristas flagrados pela reportagem na contramão na quarta-feira 15 reclamaram da falta de sinalização na via, bem como a falta de divulgação prévia em relação à mudança de circulação. Foto: FOLHA DO LITORAL

Motoristas, ciclistas e pedestres já começaram a notar as intervenções que o Departamento Estadual de Trânsito (Detran-ES) planejou para Aracruz. Elas, segundo informou a secretaria municipal de Transportes e Serviços Urbanos, são resultado de um estudo realizado em 2020 para definição da “implantação e manutenção da sinalização viária horizontal e vertical”, que teve ordem de serviço assinada no último dia 23 de julho, sendo os serviços orçados em R$ 718.577,76.

A primeira rua que teve o trânsito alterado foi a Padre Luiz Parenzi, que passa a ter todo o seu fluxo – entre as proximidades da agência da EDP, no Centro, e a Unidade de Pronto Atendimento situada no bairro Vila Rica – em mão única (Centro x Vila Rica). Assim, as opções de sentido contrário são as ruas Tibúrcio Alves da Costa (Hospital São Camilo x Banestes) e 23 de Maio, o que já era praticado.

Com a criação do binário, a rua Professor Lobo também terá mão única, com carros e motos podendo circular apenas no sentido Centro x Shopping Oriundi. O sentido contrário será feito pela rua Leopoldo Barcellos Rangel, com acesso pela rua Flor de Lis, no bairro Jardins. Outro acesso à Leopoldo Rangel, sobretudo para os veículos oriundos da orla, fica na rodovia ES-257, na altura da Arafer.

Ainda em relação à circulação, outra mudança perceptível foi à proibição dos veículos que descem a avenida Castelo Branco, no bairro Bela Vista, ou trafegam no sentido rodovia Luiz Theodoro Musso x avenida Florestal, acessarem a rua José Alves da Costa na altura do Supermercados Kinkas. No local, mesmo com a instalação de uma placa de sentido proibido e a ampliação do trevo, há quem desrespeite a nova regra de trânsito, como flagrou a reportagem.

Flagrantes de desrespeito à nova regra de trânsito: veículos que descem a avenida Castelo Branco, no bairro Bela Vista, ou trafegam no sentido rodovia Luiz Theodoro Musso x avenida Florestal não podem acessar a rua José Alves da Costa na altura do Supermercados Kinkas

Desrespeito também, inclusive dos ônibus do transporte público municipal, já se nota na Leopoldo Barcellos Rangel, onde já há nova sinalização indicando sentido único. E com a implantação de uma ciclovia de 6,2 quilômetros passando por muitos trechos onde é comum notar carros e motos estacionados, sobretudo em frente a oficinas mecânicas, a dúvida é se haverá de fato respeito ao espaço destinado aos ciclistas.

Sobre as mudanças de circulação, a Seção de Trânsito do 5° Batalhão da Polícia Militar informou estar à disposição do Detran-ES e da Prefeitura de Aracruz, embora não tenha sido consultada sobre as intervenções. A administração municipal, por sua vez, informou que estará orientando a população.

O que dizem os moradores

Na página da Prefeitura de Aracruz no Facebook, em uma nota em que a secretaria municipal de Transportes e Serviços Urbanos buscou esclarecer a implantação de mão única em toda extensão da rua Padre Luiz Parenzi, moradores discordaram das mudanças, mas também apresentaram sugestões. Rosilda Ribeiro acredita que o trânsito da cidade está mudando para pior. Igor de Oliveira considera que colocar a principal via do bairro Vila Rica como mão única não trouxe nenhuma melhoria pelo fato das ruas de acesso ao Centro da cidade continuarem engarrafadas, sobretudo em horários de pico. Uma dessas vias é a rua 23 de Maio, que para Leonardo Pedrini também deveria ter mão única. Issac Soares, Luan Ronqueti e Rosa Loureiro defendem a instalação de um semáforo na avenida Venâncio Flores antes do acesso à rua 23 de Maio. Outros aproveitaram para cobrar melhorias no fluxo da avenida Castelo Branco, no bairro Bela Vista, além de opinar que não adiantam novas sinalizações ou mudanças de circulação se as condições das ruas e avenidas continuarem precárias. Em outras páginas na mesma rede social, moradores se queixam da falta de uma ampla divulgação para anteceder as mudanças no trânsito de Aracruz.

PUBLICIDADE