Jogador que atua na Lituânia ressalta conexão com Aracruz, sua cidade natal

“Por mais que hoje viva fora do Brasil, Aracruz é um lugar que procuro e quero sempre estar voltando”, enfatiza Henrique Devens

0
149
Foto: Arquivo Pessoal

Quem é nascido em Aracruz e vive fora do município em função de estudo ou trabalho está sempre à espera de uma oportunidade de voltar para casa, nem que seja para uma visita. Que o diga Henrique Devens. Atacante do FK Transinvest, time de futebol da Lituânia, o jovem deixou a cidade natal para estudar e acabou tendo a chance de iniciar a carreira de jogador profissional no exterior. “Por mais que hoje viva fora do Brasil, Aracruz é um lugar que procuro e quero sempre estar voltando”, enfatiza.

Com a maior parte da família vivendo em Aracruz, onde também estão grandes amigos, é natural que Henrique faça questão de ‘estar em casa’ sempre que possível. A motivação, contudo, vai além. “É onde recarrego minhas energias e me sinto mais conectado comigo mesmo”, conta o atleta.

A conexão de Henrique Devens com Aracruz ainda é evidente pelos empreendimentos que ele mantém na cidade. Além do Centro de Treinamento que oferta aulas de futevôlei; beach tennis e circuito, o jovem, unindo moda e arte para gerar conhecimento, acaba de lançar a marca Cult Company.

Também é em Aracruz que Henrique busca desenvolver iniciativas sociais. Ex-presidente do LEO Clube da cidade, o jovem desde cedo sabe a relevância de semear o bem através de ações que fazem a diferença. No final do ano passado, por exemplo, ele, por iniciativa própria, reuniu parceiros para arrecadar e distribuir 60 cestas básicas entre organizações que atendem famílias carentes.

Outra oportunidade que Henrique teve foi a de compartilhar sua história com crianças de um projeto de Barra do Riacho, incentivando-os a se dedicarem aos estudos e a enxergarem o esporte como ferramenta de transformação social. “Essa experiência marcante me motivou a pensar em novas iniciativas para desenvolver na minha cidade. Aracruz é mesmo um lugar especial. Não à toa, levo seu nome onde quer que eu vá”, pontua o jovem.

PUBLICIDADE