Já é possível fazer sua reserva para os camarotes na Sapucaí

Por enquanto, a previsão é de que os desfiles das Escolas de Samba do Grupo Especial ocorram nos dias 27 e 28 de fevereiro, e posteriormente no dia 4 de março de 2022 (desfile das campeãs), sendo que a apuração dos resultados está prevista para 2 de março

0
58
Foto: Divulgação

Para os amantes dos desfiles de carnaval, uma boa notícia. Já estão sendo vendidas a reserva dos camarotes na Marquês de Sapucaí referentes ao desfile das Escolas de Samba do Grupo Especial do Carnaval 2022 no Rio de Janeiro. Por enquanto, a previsão é de que os desfiles das Escolas de Samba do Grupo Especial ocorram nos dias 27 e 28 de fevereiro, e posteriormente no dia 4 de março de 2022 (desfile das campeãs), sendo que a apuração dos resultados está prevista para 2 de março.

Gabriel David, diretor de marketing da LIESA (Liga Independente das Escolas de Samba do Rio), revelou à CNN que somente em 2022 é que será aberta a venda de ingressos para o público que deseja acompanhar o desfile das Escolas de Samba do Grupo Especial do Carnaval de 2023. O diretor ainda afirmou que pouco a pouco o trabalho nos barracões vem sendo retomado: “estamos recomeçando aos poucos, mas em breve a Cidade do Samba estará a todo vapor”.

Após meses de embargo, apenas no mês passado o lugar onde os icônicos carros alegóricos e as fantasias que são características das escolas de samba recebeu permissão para abrir suas portas. Isso porque a Cidade do Samba, que está localizada na Zona Portuária do Rio de Janeiro, foi interditada ainda em 11 de janeiro, por conta de um pedido realizado pelo Ministério Público (MP). Nele, o MP solicitava que as instalações onde são confeccionados os adereços utilizados nos desfiles, fossem reestruturadas para se adequar às normas de segurança e reduzir os riscos de incêndio.

Ano que vem terá mais polêmica?

Sem sombras de dúvidas, o samba, carnaval e Rio de Janeiro estão entre os principais cartões postais do Brasil. E sabemos que brasileiro ama uma boa festa, assim como a jogatina. Porém, no ano passado, a mistura de todos esses ingredientes só rendeu um caso na Polícia Federal (PF). Isso porque a PF recebeu uma denúncia que dava conta de que um cassino ilegal estava funcionando em um dos camarotes da Marquês de Sapucaí – e o mais intrigante no caso é se o aparato encontrado era apenas uma decoração ou realmente estavam sendo realizadas apostas nas mesas de poker, roleta e nas máquinas caça-níquel que foram encontradas.

A PF confirmou que aparentemente nada da empreitada foi feita por “debaixo dos panos”, já que no site onde eram vendidos os ingressos para o camarote era anunciado: “um espaço no puro estilo dos cassinos ao redor do mundo, em que os seletos clientes poderão jogar nas mesas de roleta, blackjack, poker (com o 1º torneio de pôquer do carnaval carioca), além das slot machines (caça-níqueis) originais, vindas de Las Vegas”. É de conhecimento geral que casas de jogatinas físicas são proibidas no Brasil, e atualmente, apenas as plataformas com os melhores cassinos online e que possuem uma licença de um órgão regulador internacional podem atuar em território tupiniquim.

Dessa forma, na ocasião a PF acabou apreendendo as máquinas caça-níquel encontradas no camarote, que seriam periciadas para verificar se elas eram cenográficas, e caso isso se confirmasse, não configuraria nenhuma infração. O empresário responsável pelo empreendimento, Alexis de Vaulx, negou as informações relacionadas à apreensão, afirmando que os agentes foram até o local e checaram apenas a documentação do estabelecimento.

Apesar das informações discordantes, especialistas no ramo apontam que somente o simples fato de haver propagandas relacionadas a um cassino ilegal dentro do camarote já seria o suficiente para instauração de um inquérito policial. “É proibido. Seria mais ou menos como fazer propaganda de um homicídio. Isso pode? Não, não pode”, disse um advogado consultado pela VEJA Rio na ocasião.

PUBLICIDADE