Deputado denuncia sobrecarga em ponte

Na sessão plenária de segunda-feira 7, o deputado estadual Alexandre Xambinho relatou que várias denúncias sobre o fato têm chegado à Comissão de Infraestrutura (Coinfra)

0
59
ponte Flodoaldo Borges Miguel, que liga o distrito de Nova Almeida, na Serra, ao de Praia Grande, em Fundão. Foto: Divulgação

Por Wanderley Araújo

O deputado Alexandre Xambinho denunciou que, apesar da ponte Flodoaldo Borges Miguel, que liga o distrito de Nova Almeida, na Serra, ao de Praia Grande, em Fundão, ter capacidade apenas para trânsito de veículos com até 23 toneladas, carretas da Suzano Celulose estariam trafegando sobre a estrutura carregando toras de eucalipto com cargas de mais de 70 toneladas.

Deputado Xambinho cobrou fiscalização de cargas acima do limite de peso permitido na estrutura da ponte entre Serra e Fundão. Foto: Lucas S. Costa

Na sessão plenária de segunda-feira 7, ele relatou que várias denúncias sobre o fato têm chegado à Comissão de Infraestrutura (Coinfra) e projetou no painel do plenário um vídeo mostrando várias carretas carregadas de toras de eucalipto passando sobre a ponte. O deputado afirmou que, além de acionar o Ministério Público Estadual (MPE), está comunicando o fato também à unidade da Polícia Militar em Nova Almeida, com pedido para que fiscalize e proíba o trânsito pela ponte de carretas e caminhões com cargas acima do limite de peso permitido.

Ele acrescentou que a situação se torna mais grave ainda, pois a estrutura está deteriorada, tendo sido incluída no plano de ações do Departamento de Edificações e de Rodovias do Espírito Santo (DER-ES) para ser restaurada. Em apoio ao discurso de Xambinho, o deputado Coronel Weliton (PTB) considerou “absurda” a situação relatada e lembrou que já havia pedido da tribuna do plenário que, além do restauro em sua estrutura, o DER agregue também à ponte uma passagem para pedestres e ciclistas.

A reportagem da FOLHA DO LITORAL, Xambinho enviou um vídeo mostrando uma carreta rodotrem com toras de eucaliptos, atravessando o perímetro urbano de Nova Almeida, com destino à ponte. Segundo ele, este tipo de veículo tem capacidade de carga de até 74 toneladas, enquanto uma carreta com três eixos transporta até 41,5 toneladas, e uma bitrem 57 toneladas, mas a ponte tem limitação de, no máximo, 23 toneladas.

Carretas com granito comprometem estrutura de ponte em Praia Grande

No dia 11 de outubro de 2019 a FOLHA DO LITORAL publicou esta reportagem: Com capacidade para suportar até 23 toneladas, a ponte que liga Praia Grande, em Fundão, a Nova Almeida, na Serra, está com a estrutura comprometida devido ao intenso trafego de carretas com peso variando de 60 a 100 toneladas.

O irregular transporte de granito por parte de quem tenta burlar a legislação e usar vias alternativas para fugir da fiscalização da Polícia Rodoviária Federal (PRF) na rodovia BR-101, na Serra, está comprometendo a estrutura da ponte Flodoaldo Borges Miguel, na rodovia ES 010, no distrito de Praia Grande, em Fundão.

As carretas deixam a BR-101 em Ibiraçu, entram na rodovia ES 257 e após o viaduto pegam uma estrada de chão até Santa Rosa, em Aracruz, dali seguindo pela rodovia ES 261 até Praia Grande. Autor da lei que proíbe a passagem deste tipo de transporte por estradas municipais de Ibiraçu, o então vereador Otávio Maioli flagrou várias carretas de madrugada.

O que disse a Polícia Militar?

A Polícia Militar informou que realizou 25 operações nas rodovias estaduais, com foco no transporte pesado. O 5º Batalhão atuou nas rodovias ES 257 (Aracruz a Barra do Sahy), ES 010 (Praia Grande a Vila do Riacho) ES 124 (Aracruz a Guaraná) e ES 456 (Aracruz à BR-101). O mais grave, segundo a nota da PM, é que o DER-ES autorizou, a partir de 31 de julho do ano passado, o transporte pesado pela rodovia ES 257 (Ibiraçu a Aracruz), invalidando uma instrução de 2010 que regulamentava a proibição. Como não existe proibição e sinalização adequada, a PM fica impossibilita de fiscalizar o transporte pesado.

O que disse o DER-ES?

O órgão informou que devido à revitalização da rodovia ES 257, a tonelagem aumentou para a capacidade de carga, até 45 toneladas, e que a alteração no limite de peso é somente para o trecho de Ibiraçu a Aracruz, mas que providencia placas de sinalização no trecho.

Ponte apresenta rachaduras e ferragens expostas

O tráfego pesado danifica o calçamento em Santa Rosa. As carretas passam também pelo bairro Bela Vista, em Aracruz, por volta de 22h, e de acordo com relatos de moradores, a ponte está sendo utilizada por caminhões e carretas com peso muito superior ao máximo estabelecido. Uma placa na entrada informa que a estrutura suporta até 23 toneladas. A situação já traz impactos na ponte, rachaduras já são visíveis, assim como parte dos vergalhões das colunas.

A principal reclamação dos moradores é que a ponte está limitada, segundo o DER, a uma capacidade de carga de 23 toneladas. Mas hoje, com as carretas com granito e areia, com peso de 40 a 100 toneladas, passando em comboio de duas e até três, a ponte se torna perigosa ao tráfego, podendo prejudicar a mobilidade urbana dos moradores no acesso a Nova Almeida, na Serra.

Eles reclamam que a ponte é velha e que se ela tiver problema e ficar interditada, terão que se deslocar de Praia Grande em distância de 40 km até Fundão, e pela BR-101, mais 60 km até Vitória. Se isso ocorrer, empresas de Aracruz – Suzano, Estaleiro Jurong e moradores de Coqueiral, Barra do Sahy e Santa Cruz – serão prejudicados.

Suzano informa que carretas não usam mais a ponte

A Suzano informa que a ponte que liga Nova Almeida a Praia Grande já não vem sendo utilizada nas rotas de transporte de madeira. A empresa atua gerando e compartilhando valor com as comunidades e fornecedores locais, seguindo as normas de segurança e respeito ao meio ambiente. Reafirma, ainda, os seus compromissos socioambientais e de escuta das comunidades, através de diálogos sociais que antecedem as operações, além de disponibilizar canal de atendimento para os esclarecimentos necessários, por meio do 0800 283 8383.

PUBLICIDADE