Combate ao mosquito da dengue é intensificado em Aracruz

Para combater o vetor, a Prefeitura de Aracruz intensificou as ações de campo e de orientação da população nas localidades com os maiores índices de notificações, Barra e Vila do Riacho

0
15
Uso de pulverizador costal portátil por agente de endemias. Foto: Divulgação/Secom PMA

As chuvas combinadas com as altas temperaturas típicas do verão são sinal de alerta para a dengue. Isso porque esses dois fatores juntos criam um ambiente altamente favorável para a proliferação do mosquito Aedes aegypti, que também transmite outras arboviroses, como zika e chikungunya. Para combater o vetor, a Prefeitura de Aracruz intensificou as ações de campo e de orientação da população nas localidades com os maiores índices de notificações, Barra e Vila do Riacho.

O principal recurso utilizado pelos agentes de endemias é o pulverizador costal portátil, considerado mais eficaz do que o carro fumacê. “A aspersão do jato de inseticida de bomba é direcionado aos vetores de forma mais adequada e direta”, explica Valquíria Scarpati, gerente de Vigilância Epidemiológica.

A secretaria municipal de Saúde orienta que os moradores abram portas e janelas quando o agente passar com o pulverizador costal, para que o inseticida possa eliminar os mosquitos que eventualmente tenham entrado nas residências. É indispensável, contudo, proteger alimentos, além de aquários, gaiolas e bebedouros e comedouros dos pets.

Nunca é demais lembrar que para depositar seus ovos, o Aedes aegypti utiliza água parada. Portanto, os métodos de combate também envolvem verificar lugares onde pode haver recipientes com líquidos, como caixas d’água abertas, vasos de plantas, vasilhas de degelo de geladeiras, garrafas e pneus, e eliminar o acúmulo. Além disso, não deixar concentrar o lixo e utilizar repelente em áreas de grande exposição a mosquitos são formas eficientes de evitar as arboviroses.

PUBLICIDADE