Campanha para combater motos barulhentas em Aracruz

A ideia é que farmácias, lojas, lanchonetes e restaurantes que trabalham com entrega a domicílio evitem efetuar o serviço junto a empresas que não tenham o cuidado de verificar se os motoboys que contratam estão de posse de motos irregulares

0
138
Além de escapamento aberto, moto recolhida em blitz estava com licenciamento vencido. Foto: Divulgação/5° BPM

Lojistas de Aracruz estão aderindo à campanha “Não Aceito Minhas Entregas via Delivery feita por Motos Barulhentas”, de iniciativa de um grupo de empresários empenhados em combater o barulho ensurdecedor provocado por motos com escapamento aberto. A ideia é que farmácias, lojas, lanchonetes e restaurantes que trabalham com entrega a domicílio evitem efetuar o serviço junto a empresas que não tenham o cuidado de verificar se os motoboys que contratam estão de posse de motos irregulares.

A Drogsfarma é um dos estabelecimentos que só contrata empresas conscientes para realizar o serviço de entrega a domicílio. “É uma questão de responsabilidade e também de segurança. Conhecemos bem os incômodos gerados por motos barulhentas e estamos fazendo nossa parte para frear o problema”, enfatiza o gerente Eraldo Tessarolo.

Empresário do ramo de motos, Aloisio Sfalsim lembra que o escapamento de uma motocicleta é a peça responsável por levar os gases e ruídos produzidos pelos motores durante seu funcionamento para o ambiente externo, sendo projetado originalmente junto com seus catalizadores para atender normas de ruídos e de emissão de poluentes na atmosfera. “Infelizmente muitos usuários modificam o sistema ou simplesmente trocam na esperança de obter uma falsa sensação de maior potência no motor. Ao fazer isso, além de comprometer a durabilidade de seu propulsor e a própria segurança, eles tiram a paz de quem não tem nada a ver com isso”, ressalta.

Veículos com escapamento adulterado ou defeituoso são passíveis de multa. A infração prevista no artigo 230, Inciso XI, do Código de Trânsito Brasileiro (CTB) é de natureza grave, com penalidade no valor de R$ 195,23 e 5 pontos na carteira e retenção do veículo para regularização. Além das questões previstas no CTB, o barulho excessivo de um veículo causa poluição sonora e pode ferir também a legislação ambiental.

De acordo com a secretaria municipal de Administração, o Gabinete de Gestão Integrada Municipal (GGIM) tem analisado e estudado ações a serem implantadas durante todo o ano. O 5° Batalhão da Polícia Militar, por meio da Seção de Trânsito, segue realizando blitzes para identificar, entre outras irregularidades, ‘escapamentos barulhentos’.

PUBLICIDADE