Brasil, o país da Ansiedade

0
51

Segundo dados da OMS (Organização Mundial de Saúde), desde 2017 o Brasil assumiu a liderança em casos de transtornos de ansiedade. Esses dados só têm aumentado, e isso também se deve à nova realidade que o coronavírus nos trouxe, tanto a privação do contato quanto ao isolamento social e aos medos, muitas vezes inflamados pelo acesso às informações difundidas pela mídia.

Primeiro, precisamos definir os limites da ansiedade: Até que ponto é normal? Quando ela se torna uma doença? A ansiedade é um sentimento primordial que nos protegeu durante toda a evolução, nos demonstrando riscos eminentes e nos guardando da extinção.

Considerando assim, não só é um sentimento humano normal, como essencial, já que todos nós nos deparamos com ela em determinadas situações que nos parecem ser ameaçadoras ou difíceis. Nesses casos, é natural ficarmos nervosos, tensos e/ou agitados, e consequentemente ansiosos, em determinados acontecimentos pessoais ou sociais em que somos submetidos a uma avaliação, por exemplo, um exame, uma entrevista profissional, um primeiro encontro etc., porque isso nos permite ativar alguns recursos que nos ajudam a enfrentar esta situação.

Então, sua ansiedade é considerada normal quando possui uma causa aparente e com tempo determinado. Em contrapartida, ela pode se manifestar sem causa aparente, onde se inicia pensamentos negativos que crescem apresentando uma catastrófização, que é considerada uma distorção cognitiva, uma distorção do que realmente está acontecendo, como estar com febre e logo começar a surgir pensamentos que vai morrer. Quando isso ocorre, seu corpo entende que você deve ficar em estado de alerta para se proteger daquilo que está por vir.

Todo esse estresse gerado pelo excesso de ansiedade gera uma série de alterações físicas, como o suor excessivo, tremores, palpitações, sensação de falta de ar, batimentos do coração acelerados, euforia e irritabilidade, dentre outros sentimentos, que são facilmente explicados quando sentimos uma grande ansiedade.

No meu dia a dia sempre escuto pessoas falando “tenho ansiedade” e precisamos sempre nos questionar se ela é normal – quando há um motivo aparente; ou patológica – quando ocorre sem motivo aparente e te impõe limitações.

E por que o Brasil é o país onde a ansiedade é tão elevada? Muito se deve ao preconceito com a saúde mental. Embora o Brasil seja um país acolhedor e afetuoso, o brasileiro tem uma certa dificuldade de reconhecer que necessita de ajuda psicológica. Estigmas ainda nos cercam como falta do que fazer, falta de Deus, frescura e outros. Precisamos urgentemente difundir sobre os Transtornos Mentais, pois a ansiedade é um desafio real que tem afetado todos os gêneros, todas as classes sociais e gerado prejuízos que podem ser irreversíveis.

Como anda a sua saúde mental?

PUBLICIDADE