BR-101 interditada até quinta-feira 8 em Aracruz

A concessionária está construindo um desvio provisório, que deve ser liberado até quinta-feira 8

0
1752
O desvio poderá ser utilizado pelos motoristas nos dois sentidos, contribuindo com a regularização do fluxo até que as obras sejam concluídas no percurso original da rodovia (previsão de cerca de 30 dias)

A Eco101 informa que equipes seguem trabalhando na erosão no km 171 da rodovia BR-101, na divisa de Aracruz com Linhares, trecho que segue totalmente interditado perto da praça de pedágio de Jacupemba. A concessionária está construindo um desvio provisório, que deve ser liberado até quinta-feira 8.

O desvio poderá ser utilizado pelos motoristas nos dois sentidos, contribuindo com a regularização do fluxo até que as obras sejam concluídas no percurso original da rodovia (previsão de cerca de 30 dias). O trecho alagado em frente a WEG Motores, em Bebedouro, distrito de Linhares, continua tomado pelas águas das chuvas, mas permitindo o tráfego de todos os veículos.

As condições de tráfego na BR-101, trecho sob administração da Eco101, estão sendo atualizadas no Twitter /(@_eco101), canal do Telegram (Eco101 Informa) e site da Concessionária (eco101.com.br). Ao longo da rodovia, motoristas são orientados por meio dos painéis de mensagens variáveis, praças de pedágio e abordagem por colaboradores da concessionária.

Já a rodovia BR-259, em Baunilha, próximo a Colatina, continua totalmente interditada e sem opções de desvios para os motoristas, pois a rodovia ES-261, entre Santa Teresa e Fundão, só permite a passagem de veículos menores.

Desvios
Um desvio alternativo, em estrada de chão, para quem segue de Linhares para Jacupemba em carros pequenos, pode ser acessado antes da Imetame Granitos, em uma empresa de produção de grama, com saída pelo bairro São José Mambrini, no trevo de Jacupemba, em percurso de 20 minutos. Outra opção é entrar em Bebedouro com destino a Regência e, de lá, seguir para Vila do Riacho, em Aracruz, e dali acessar as rodovias ES-010 ou ES-456. Mas, atenção. É bom verificar as condições de alagamento.

PUBLICIDADE