Aracruz alerta para crescimento de casos de dengue

Levantamento realizado pela prefeitura entre os meses de janeiro e fevereiro deste ano apontou que pratos, vasos, baldes, garrafas retornáveis, pneus, lonas e entulhos, presentes na em áreas externas ou quintais das residências, são os principais criadouros do popular ‘mosquito da dengue’

0
22
O mosquito Aedes aegypti é o responsável por transmitir doenças como a dengue. Foto: Divulgação

Com 227 casos de dengue notificados e 41 confirmados em Aracruz, a secretaria municipal de Saúde intensificou suas ações, atuando inclusive nos fins de semana, e pede que os moradores também redobrem os cuidados para frear a proliferação do Aedes aegypti, mosquito que transmite a doença, além da zika e da chikungunya.

Levantamento realizado pela prefeitura entre os meses de janeiro e fevereiro deste ano apontou que pratos, vasos, baldes, garrafas retornáveis, pneus, lonas e entulhos, presentes na em áreas externas ou quintais das residências, são os principais criadouros do popular ‘mosquito da dengue’. Dos 1.988 imóveis visitados para o estudo, 222 possuíam criadouros diversos com larvas do Aedes aegypti.

Ainda de acordo com o levantamento, a sede do município e as localidades de Barra do Riacho, Jacupemba e Vila do Riacho são as localidades com maior potencial de transmissão de dengue. “Apesar das iniciativas do Poder Público, o estudo confirma a baixa mobilização da sociedade quanto aos cuidados dentro das próprias residências. É essencial que cada um faça a sua parte. Devemos ser proativos para evitar uma epidemia neste ano”, alerta Valquíria Scarpati, gerente de Vigilância em Saúde.

Outra preocupação da secretaria de Saúde é com as pessoas notificadas que não realizam o exame sorológico para detectar a dengue. “É importante termos esse mapeamento com os resultados dos casos positivos, não apenas para que o tratamento adequado seja realizado, mas para que possamos ter o rastreio epidemiológico e descartar ou identificar se existe outra doença circulando de forma mascarada”, pontua Valquíria.

SINTOMAS

Os principais sintomas da dengue são febre alta de início repentino, dor de cabeça, dor no corpo e articulações, diarreia, fraqueza, dor atrás dos olhos e erupções cutâneas. Também é comum ocorrerem náuseas e vômitos. A médica Dra. Nina Mori Borges alerta que apesar de ser uma doença comum, a dengue pode evoluir de forma grave. “O ideal é procurar atendimento médico ao início dos sintomas, pois em estágios avançados, ela pode provocar desidratação, hemorragia, choque e levar o paciente a óbito”, destaca.

COMO PREVENIR
Limpe os pratos colocados sob os vasos das plantas, pelo menos, uma vez por semana ou basta enchê-los com areia;
Organize garrafas e vasilhas de boca para baixo, bem como mantenha tanques, barris, cacimbas, poços e tudo mais que possa acumular água, tampados;
Mantenha as caixas d’água fechadas e faça sua limpeza periódica;
Limpe a casa com uma solução de hipoclorito de sódio (água sanitária) diluída em água (na proporção de uma colher de sopa para cada litro) e despeje-a nos ralos, para eliminar as larvas do mosquito;
Use repelente para afastar o mosquito e evitar picadas;
Caso tenha piscina, trate a água com cloro e limpe-a uma vez por semana;
Lave com escova os recipientes de comida e de água dos animais de estimação no mínimo uma vez por semana;
Mantenha lixeiras tampadas;
Mantenha ralos fechados e desentupidos;
Retire a água eventualmente acumulada em lajes.

PUBLICIDADE