Análise: quem tem chances reais na eleição a deputado federal no Espírito Santo?

Publicado em 18/08/2022 por Vitor Vogas (portal ES 360)

0
180
Urna eletrônica. Foto: Divulgação

Apresentamos o “Clube dos 12” (os doze partidos que realmente têm chance de eleger pelo menos um candidato à Câmara dos Deputados). Conheça as principais apostas do mercado político para cada uma dessas chapas. No Espírito Santo, 195 candidatos a deputado federal pediram registro à Justiça Eleitoral. Vão competir pelas dez vagas da bancada capixaba na Câmara dos Deputados, no pleito do dia 2 de outubro. A concorrência geral é alta: 19,5 candidatos para cada cadeira em disputa.
Logicamente, a grande maioria desses quase 200 postulantes fará número ou figuração. Com chances reais de vitória, há cerca de 35 candidatos, o que reduz a concorrência para 3,5 por vaga. Entre estes podemos incluir os dez atuais deputados: todos buscam renovar o mandato.
Vinte e dois partidos inscreveram chapas de federais no Estado. Dessas 22 chapas, podemos carimbar que só 12 têm reais condições de eleger pelo menos um deputado federal: a Federação PT/PCdoB/PV, a Federação PSDB/Cidadania, o PDT, o PL, o PSB, o PSC, o PTB, o Patriota, o Podemos, o Progressistas, o Republicanos e o União Brasil. Isso significa que, na realidade, somente 12 agremiações lutam para preencher as 10 vagas em disputa. Por óbvio, nem todas serão bem-sucedidas.
Dentro desse “Clube dos 12”, as chapas de três partidos (Progressistas, Republicanos e PSB), consideradas no mercado político como o “primeiro pelotão”, possuem boas chances de eleger mais de um deputado cada uma. As outras nove lutarão para emplacar um deputado, e será uma grande surpresa se alguma delas conseguir eleger mais de um. Quanto às outras dez chapas registradas (Agir, Avante, DC, Rede/Psol, Novo, PMB, PRTB, Pros, PSD e Solidariedade), uma análise realista nos permite afirmar desde já que não farão nenhum deputado federal.
Chama a atenção, negativamente, que um partido como o MDB, com seu tamanho e sua história no país e neste Estado, não tenha conseguido nem sequer registrar uma chapa – o que dá a exata dimensão da acelerada derrocada da sigla no Espírito Santo de 2018 para cá.
Abaixo, listamos os partidos ou federações que integram o “Clube dos 12”, com probabilidades reais de eleger pelo menos um federal no Espírito Santo. Cada um é seguido pelo nome do(s) respectivo(s) puxadores de votos, principais apostas do mercado político capixaba para conseguir chegar lá. Por assim dizer, são os favoritos.
Atenção: isso não exclui a possibilidade de algum nome não citado abaixo lograr êxito nas urnas, surpreendendo o mercado político local – como fez, por exemplo, Felipe Rigoni em 2018. Azarões também vencem corridas. Mas, como dito, seria uma grande surpresa, uma “revelação eleitoral”. Com asterisco, marcamos os candidatos à reeleição. Eis a lista:

1. Federação PT/PCdoB/PV: Helder Salomão* e Jack Rocha (ambos do PT)
2. Federação PSDB/Cidadania: Sergio Majeski e Max Filho (ambos do PSDB)
3. PDT: Philipe Lemos e Sueli Vidigal
4. PL: não tem um nítido puxador de votos, mas Gilvan da Federal e Devacir Rabello parecem largar na frente por serem vereadores, respectivamente, de Vitória e de Vila Velha
5. PSB: chapa equilibrada; Paulo Foletto*, Freitas, Givaldo Vieira, Jacqueline Moraes, Luciano Machado e Ted Conti têm chances parecidas
6. PSC: Lauriete* e Renzo Vasconcelos
7. PTB: Soraya Manato*, Tenente Assis e Torino Marques
8. Patriota: Capitã Estéfane e Dr. Rafael Favatto
9. Podemos: Coronel Ramalho, Gilson Daniel e Victor Linhalis
10. Progressistas: Da Vitória*, Evair de Melo*, Marcus Vicente, Neucimar Fraga* e Norma Ayub*
11. Republicanos: chapa equilibrada; Amaro Neto* é o puxador de votos; depois dele, Coronel Wagner, Devanir Ferreira, Dr. Jorge Silva e Messias Donato largam com chances iguais; correndo por fora, Diego Libardi e Dr. Leonardo Lessa
12. União Brasil: Felipe Rigoni* e Dr. Gustavo Peixoto

PUBLICIDADE